Prefeitura de Itaguaçu

Itaguaçu, 20 de janeiro de 2018 Atendimento
Você sabia? A Igreja Matriz Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças foi construída em 1953.
Imprimir Email

Institucional

JOÃO, O HERÓI DE ITAGUAÇU.

por PM Itaguaçu

12/01/2018 12:59

Uma das partidas mais emocionantes da história da Copa A Gazetinha aconteceu na noite desta quinta-feira (11), no estádio Municipal, em Itaguaçu. Cerca de quatro mil pessoas foram testemunha deste feito.

O time da cidade enfrentou a equipe de Natividade, do Estado do Rio de Janeiro, na categoria 14/15 anos. Mas, uma final inesperada mudou a história da partida, mexeu com a comunidade e marcou para sempre a vida de João Marcelo, goleiro do Itaguaçu.

Faltando cinco minutos para o encerramento da partida, a equipe do Itaguaçu perdia pelo placar de 2 a 0. Tudo indicava que a equipe de Natividade iria vencer a partida, mas cedeu o empate nos minutos finais, com a disputa indo para os pênaltis.

Aí que começou a brilhar o João Marcelo.

A história do João já foi contada em outra postagem aqui na Copa A Gazetinha. O pai dele faleceu às vésperas do início das finais da competição, e ele ganhou uma grande homenagem na primeira partida da equipe, dando força para o jovem goleiro.

Na decisão desta quinta (11), a disputa ficou mais emocionante, com o que reservava os lances finais das cobranças de pênaltis.

O time de Natividade mais uma vez estava na frente no placar, quando perdeu um pênalti, empatando de novo a disputa, com o Itaguaçu sobrevivendo de novo.

Depois de empatar na primeira fase da cobrança, o jogador Itaguaçu marcou na primeira cobrança. Agora era vez do jogador de Natividade cobrar. Se marcasse, empatava, e ia para mais uma rodada, mas se perdesse Itaguaçu sairia vitorioso.

Em um coro único, a torcida começou a gritar o nome de João. O goleiro se agigantou, impulsionado pelo grito da torcida. Muitos já choravam com a possibilidade de vencer após a virada.

“João, João, João...”, gritava a torcida...

O jogador de Natividade bateu muito bem na bola, mas o João, numa inspiração vinda do alto, pulou bonito, fez uma verdadeira ponte, defendendo a bola com as mãos.

Daí pra frente foi da mais forte emoção. Parte da torcida entrou em campo, gritando o nome do João, que foi erguido para o alto. E o João apontava as mãos para os céus, como que dedicava aquele momento ao pai que tanto o apoiava e incentivava no futebol.

E a sua mãe, Dida, foi abraçar o filhão. Aos choros, os dois se abraçaram sensibilizados com as circunstâncias da família.

Confira  o vídeo das cobranças dos pênaltis e da comemoração no link:

https://www.youtube.com/watch?v=jGHRHfHAeYY&feature=youtu.be

 

João 1

Nos braços do povo

João 2

João e sua mãe Dida



Matérias relacionadas

    Final do corpo do documento e conteúdo da página